Escolha sua fonte:
 Arimo
 Merriweather
 Mukta Malar
 Open Sans Condensed
 Rokkitt
 Source Sans Pro
 Login


 Português 
 Français 
 English 

[Valid RSS] RSS
bar

Banco de dados - Alliance francophone pour l'accouchement respecté (AFAR)

Descrição deste banco de dados documental (Site da AFAR)
Atualmente 3053 fichas
Canal do YouTube (tutorial)

https://afar.info/id=1063

Criado em : 02 Dec 2004
Alterado em : 02 Dec 2007

 Modificar esta ficha
Siga este link somente se você tiver um palavra chave de editor!


Compartilhar: Facebook logo   Tweeter logo   Fácil

Nota bibliográfica (sem autor) :

Letter. Making sense of rising caesarean section rates. Editorial made no sense of rising rates. The British Medical Journal 2004;329:1240.

Autores :

Lees CC.

Ano de publicação :

2004

URL(s) :

http://bmj.bmjjournals.com/cgi/content/full/329/74…

Résumé (français)  :

Reponse a l’editorial fiche 904.

Abstract (English)  :

EDITOR—In his editorial on making sense of rising caesarean section rates, Anderson does not mention why or whether rising rates are bad for women, or even disadvantageous if seen in a public health context.1 One way to do this might be to compare perinatal and maternal outcomes or even a cost benefit analysis in women at term intending to try for a normal delivery versus those intending to have an elective caesarean section, matched principally for age and parity. A sizeable proportion of those trying for a normal delivery, and a smaller proportion of those having an elective section, would end up having an emergency caesarean section, where the risks of the operation to mother and baby particularly lie.

But to argue, as Anderson does, for large, well designed randomised trials for specific indications—for example, in relation to fetal distress or dystocia—is a bizarre non-starter. How could a woman in labour with fetal distress as evidenced by a profound bradycardia on cardiotocograph and acidotic results from fetal blood sampling be randomised ethically to a "non-delivery" arm? Similarly, could withholding a caesarean section from a woman with a transverse arrest in a prolonged dystocic labour be justified ethically?

Some procedures in current practice cannot practically and should not ethically be answered by randomised controlled trials. Before making a case against a woman’s right to choose her preferred mode of delivery, some hard facts about the risks of elective caesarean section compared with those of an intended vaginal delivery would be welcome.

Sumário (português)  :

Comentários :

Argument (français) :

Argument (English):

Argumento (português):

Palavras-chaves :

➡ cesariana ; medicina baseada em evidências ; ética ; deontologia ; consentimento informado ; stresse fetal ; distocia ; idade materna

Autor da esta ficha :

Cécile Loup — 02 Dec 2004
➡ última atualização : Bernard Bel — 02 Dec 2007

Discussão (exibir apenas português)
 
➡ Reservado para usuários identificados



 Li a carta de discussões e aceito as condições (leia as diretrizes)

barre

Efectuar uma nova consulta especialista --- Outro pedido simples

Criação de uma ficha --- Importar registros

Gerenciamento de usuários --- Fazer backup do banco de dados --- Contato

bar

Esta base de dados é gerida pela Alliance francophone pour l'accouchement respecté (AFAR, https://afar.info)
filiados Collectif interassociatif autour de la naissance (CIANE, https://ciane.net).
Ele é alimentado pelas contribuições de voluntários interessados ​​em compartilhar informações científicas.
Se você aprovar este projeto, você pode nos ajudar de várias maneiras:
(1) tornar-se um colaborador com base nisso, se você tem um pouco experiência na literatura científica
(2) ou apoio financeiro AFAR (veja abaixo)
(3) ou tornar-se um membro da AFAR (ou outra associação afiliada à CIANE).
Faça login ou crie uma conta para seguir as alterações ou se tornar um editor.
Contato afar.association(arobase)gmail.com para mais informações.

Valid CSS! Valid HTML!
Doar para a AFAR (clique em “Faire un don”) nos ajudará a manter e desenvolver sites e bancos de dados
públicos para o apoio das decisões informadas dos pais e cuidadores com relação ao parto