Escolha sua fonte:
 Arimo
 Merriweather
 Mukta Malar
 Open Sans Condensed
 Rokkitt
 Source Sans Pro
 Login


 Português 
 Français 
 English 

[Valid RSS] RSS
bar

Banco de dados - Alliance francophone pour l'accouchement respecté (AFAR)

Descrição deste banco de dados documental (Site da AFAR)
Atualmente 3046 fichas
Canal do YouTube (tutorial)

https://afar.info/id=3036

Criado em : 30 Nov 2018
Alterado em : 30 Nov 2018

 Modificar esta ficha
Siga este link somente se você tiver um palavra chave de editor!


Compartilhar: Facebook logo   Tweeter logo   Fácil

Nota bibliográfica (sem autor) :

Regulating Traditional Mexican Midwifery: Practices of Control, Strategies of Resistance. Medical Anthropology Cross-Cultural Studies in Health and Illness

Autores :

Mounia El Kotni

Ano de publicação :

2018

URL(s) :

https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/014597…
https://doi.org/10.1080/01459740.2018.1539974

Résumé (français)  :

L’institutionnalisation de la profession de sage-femme mexicaine a une longue histoire. Bien que les recommandations mondiales s’éloignent de la formation des sages-femmes traditionnelles, les formations continuent. Sur la base de travaux de terrain dans l’État du Chiapas, je soutiens que, si les formations en cours proposées aux sages-femmes traditionnelles au Mexique visent à leur enseigner les meilleures pratiques, elles limitent également leur autonomie et permettent de maîtriser les comportements de reproduction des femmes pauvres. Je montre comment les sages-femmes et le personnel médical mobilisent les discours sur les risques pour la reproduction, les droits des femmes et les droits culturels autochtones pour renforcer ou contester les mécanismes de gouvernance de la reproduction.

Abstract (English)  :

The institutionalization of Mexican midwifery has a long history. Despite global recommendations moving away from training traditional midwives, training courses still continue. Based on fieldwork in the State of Chiapas, I argue that while ongoing trainings offered to traditional midwives in Mexico aim at teaching them best practices, they also limit midwives’ autonomy and keep poor women’s reproductive behaviors under control. I demonstrate how midwives and medical personnel mobilize discourses of reproductive risk, women’s rights and indigenous cultural rights to reinforce or contest mechanisms of reproductive governance.

Sumário (português)  :

A institucionalização da obstetrícia mexicana tem uma longa história. Apesar das recomendações globais se afastarem do treinamento das parteiras tradicionais, os cursos de treinamento ainda continuam. Com base no trabalho de campo no estado de Chiapas, argumento que, embora os treinamentos contínuos oferecidos às parteiras tradicionais no México visem ensinar as melhores práticas, eles também limitam a autonomia das parteiras e mantêm o comportamento reprodutivo das mulheres pobres sob controle. Demonstro como as parteiras e a equipe médica mobilizam discursos de risco reprodutivo, direitos das mulheres e direitos culturais indígenas para reforçar ou contestar mecanismos de governança reprodutiva.

Comentários :

Argument (français) :

Bien que les formations en cours proposées aux sages-femmes traditionnelles au Mexique visent à leur enseigner les meilleures pratiques, elles limitent également l’autonomie des sages-femmes et permettent de maîtriser les comportements de reproduction des femmes pauvres.

Argument (English):

While ongoing trainings offered to traditional midwives in Mexico aim at teaching them best practices, they also limit midwives’ autonomy and keep poor women’s reproductive behaviors under control.

Argumento (português):

Enquanto os treinamentos contínuos oferecidos às parteiras tradicionais no México visam ensinar-lhes as melhores práticas, eles também limitam a autonomia das parteiras e mantêm os comportamentos reprodutivos das mulheres pobres sob controle.

Palavras-chaves :

➡ formação das parteiras ; história, sociologia ; saúde pública ; parteira

Autor da esta ficha :

Bernard Bel — 30 Nov 2018

Discussão (exibir apenas português)
 
➡ Reservado para usuários identificados



 Li a carta de discussões e aceito as condições (leia as diretrizes)

barre

Efectuar uma nova consulta especialista --- Outro pedido simples

Criação de uma ficha --- Importar registros

Gerenciamento de usuários --- Fazer backup do banco de dados --- Contato

bar

Esta base de dados é gerida pela Alliance francophone pour l'accouchement respecté (AFAR, https://afar.info)
filiados Collectif interassociatif autour de la naissance (CIANE, https://ciane.net).
Ele é alimentado pelas contribuições de voluntários interessados ​​em compartilhar informações científicas.
Se você aprovar este projeto, você pode nos ajudar de várias maneiras:
(1) tornar-se um colaborador com base nisso, se você tem um pouco experiência na literatura científica
(2) ou apoio financeiro AFAR (veja abaixo)
(3) ou tornar-se um membro da AFAR (ou outra associação afiliada à CIANE).
Faça login ou crie uma conta para seguir as alterações ou se tornar um editor.
Contato afar.association(arobase)gmail.com para mais informações.

Valid CSS! Valid HTML!
Doar para a AFAR (clique em “Faire un don”) nos ajudará a manter e desenvolver sites e bancos de dados
públicos para o apoio das decisões informadas dos pais e cuidadores com relação ao parto