Escolha sua fonte:
 Arimo
 Merriweather
 Mukta Malar
 Open Sans Condensed
 Rokkitt
 Source Sans Pro
 Login


 Português 
 Français 
 English 

[Valid RSS] RSS
bar

Banco de dados - Alliance francophone pour l'accouchement respecté (AFAR)

Descrição deste banco de dados documental (Site da AFAR)
Atualmente 3046 fichas
Canal do YouTube (tutorial)

https://afar.info/id=3116

Criado em : 22 Nov 2019
Alterado em : 22 Nov 2019

 Modificar esta ficha
Siga este link somente se você tiver um palavra chave de editor!


Compartilhar: Facebook logo   Tweeter logo   Fácil

Nota bibliográfica (sem autor) :

Kangaroo care and postpartum depression: The role of oxytocin

Autores :

Hanan A. Badr, Jaclene A. Zauszniewski

Ano de publicação :

2017

URL(s) :

https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/…
https://doi.org/10.1016/j.ijnss.2017.01.001

Résumé (français)  :

Problème

La dépression post-partum survient chez environ 10 à 22% des femmes après la naissance et nuit à leur santé et à celle du nouveau-né. Les soins kangourou sont réputés avoir de nombreux avantages pour la santé, tant pour la mère que pour le nouveau-né.

Objectif

Le but de cette revue était de rassembler les preuves reliant les effets des soins kangourou à la dépression post-partum, en se concentrant spécifiquement sur le mécanisme sous-jacent proposé impliquant la libération d’ocytocine.

Méthode

La revue de la littérature a été réalisée en ciblant les bases de données PubMed, CINAHL et Google Scholar. Les termes de recherche utilisés étaient : dépression postpartum, dépression postnatale, ocytocine, son hormone, la dépression postpartum, les soins kangourou et le contact peau à peau.

Résultats

On a constaté que les soins kangourou jouent un rôle important dans la réduction du risque de dépression postpartum. Il a été constaté que le contact peau à peau au cours des soins kangourou provoquait la libération d’ocytocine, censée minimiser le risque de symptômes dépressifs et diminuer le stress maternel. Le système ocytocinergique régule la libération d’oxytocine, un effet opposé à celui de la réponse au stress humain, dans laquelle le système nerveux sympathique est activé pour libérer les catécholamines en réponse à des stimuli nocifs ou menaçants. Le système ocytocinergique régule les processus de calme, de connexion et de socialisation. Au cours des soins de kangourou, l’ocytocine bloque la réponse au stress et diminue la circulation des catécholamines, produisant des résultats positifs, notamment la réduction du stress maternel et la prévention de la dépression postpartum.

Conclusion

Kangaroo care peut être utilisé comme une intervention non pharmacologique pour prévenir ou réduire le risque de dépression postpartum.

Abstract (English)  :

Problem

Postpartum depression occurs in about 10–22% of women after birth and adversely affects their health and the health of their newborn. Kangaroo care is known to have many health-related benefits for both the mother and her newborn.

Purpose

The aim of this review was to gather the evidence linking the effects of kangaroo care with postpartum depression, specifically focusing on the proposed underlying mechanism involving the release of oxytocin.

Method

The literature review was conducted by targeting PubMed, CINAHL, and Google Scholar databases. The search terms used were postpartum depression, postnatal depression, oxytocin, oxytocin hormone, postpartum depression, kangaroo care, and skin-to-skin contact.

Results

Kangaroo care was found to play an important role in decreasing the risk for postpartum depression. Skin-to-skin contact during kangaroo care was found to trigger the release of oxytocin, which is hypothesized to minimize the risk for depressive symptoms as well as decrease maternal stress. The oxytocinergic system regulates the release of oxytocin, which is an effect that is opposite that which occurs with the human stress response, in which the sympathetic nervous system is activated to release catecholamines in response to harmful or threatening stimuli. The oxytocinergic system regulates calmness, connection, and socialization processes. During kangaroo care, oxytocin blocks the stress response and decreases the circulation of catecholamines, yielding positive outcomes that include maternal stress reduction and prevention of postpartum depression.

Conclusion

Kangaroo care can be used as a non-pharmacological intervention to prevent or decrease the risk of postpartum depression.

Sumário (português)  :

Problema

A depressão pós-parto ocorre em cerca de 10 a 22% das mulheres após o nascimento e afeta adversamente sua saúde e a saúde do recém-nascido. Sabe-se que os cuidados com o canguru têm muitos benefícios relacionados à saúde, tanto para a mãe quanto para o recém-nascido.

Finalidade

O objetivo desta revisão foi reunir as evidências que relacionam os efeitos do tratamento canguru com a depressão pós-parto, concentrando-se especificamente no mecanismo subjacente proposto que envolve a liberação de ocitocina.

Método

A revisão da literatura foi conduzida visando os bancos de dados PubMed, CINAHL e Google Scholar. Os termos de pesquisa utilizados foram depressão pós-parto, depressão pós-natal, ocitocina, hormônio oxitocina, depressão pós-parto, tratamento canguru e contato pele a pele.

Resultados

Os cuidados com o canguru foram encontrados para desempenhar um papel importante na diminuição do risco de depressão pós-parto. Verificou-se que o contato pele a pele durante os cuidados com cangurus desencadeia a liberação de ocitocina, que é a hipótese de minimizar o risco de sintomas depressivos e diminuir o estresse materno. O sistema oxitocérgico regula a liberação de ocitocina, um efeito oposto ao que ocorre com a resposta ao estresse humano, na qual o sistema nervoso simpático é ativado para liberar catecolaminas em resposta a estímulos prejudiciais ou ameaçadores. O sistema oxitocérgico regula os processos de calma, conexão e socialização. Durante os cuidados com os cangurus, a ocitocina bloqueia a resposta ao estresse e diminui a circulação das catecolaminas, produzindo resultados positivos que incluem redução do estresse materno e prevenção da depressão pós-parto.

Conclusão

O tratamento com canguru pode ser usado como uma intervenção não farmacológica para prevenir ou diminuir o risco de depressão pós-parto.

Texto completo (public) :

Comentários :

Argument (français) :

Kangaroo care peut être utilisé comme une intervention non pharmacologique pour prévenir ou réduire le risque de dépression postpartum.

Argument (English):

Kangaroo care can be used as a non-pharmacological intervention to prevent or decrease the risk of postpartum depression.

Argumento (português):

O tratamento com canguru pode ser usado como uma intervenção não farmacológica para prevenir ou diminuir o risco de depressão pós-parto.

Palavras-chaves :

➡ acompanhamento ; depressão, ansiedade ; hormonas

Autor da esta ficha :

Elise Marcende — 22 Nov 2019

Discussão (exibir apenas português)
 
➡ Reservado para usuários identificados



 Li a carta de discussões e aceito as condições (leia as diretrizes)

barre

Efectuar uma nova consulta especialista --- Outro pedido simples

Criação de uma ficha --- Importar registros

Gerenciamento de usuários --- Fazer backup do banco de dados --- Contato

bar

Esta base de dados é gerida pela Alliance francophone pour l'accouchement respecté (AFAR, https://afar.info)
filiados Collectif interassociatif autour de la naissance (CIANE, https://ciane.net).
Ele é alimentado pelas contribuições de voluntários interessados ​​em compartilhar informações científicas.
Se você aprovar este projeto, você pode nos ajudar de várias maneiras:
(1) tornar-se um colaborador com base nisso, se você tem um pouco experiência na literatura científica
(2) ou apoio financeiro AFAR (veja abaixo)
(3) ou tornar-se um membro da AFAR (ou outra associação afiliada à CIANE).
Faça login ou crie uma conta para seguir as alterações ou se tornar um editor.
Contato afar.association(arobase)gmail.com para mais informações.

Valid CSS! Valid HTML!
Doar para a AFAR (clique em “Faire un don”) nos ajudará a manter e desenvolver sites e bancos de dados
públicos para o apoio das decisões informadas dos pais e cuidadores com relação ao parto