Escolha sua fonte:
 Arimo
 Merriweather
 Mukta Malar
 Open Sans Condensed
 Rokkitt
 Source Sans Pro
 Login


 Português 
 Français 
 English 

[Valid RSS] RSS
bar

Banco de dados - Alliance francophone pour l'accouchement respecté (AFAR)

Descrição deste banco de dados documental (Site da AFAR)
Atualmente 3046 fichas
Canal do YouTube (tutorial)

https://afar.info/id=928

Criado em : 07 Oct 2004
Alterado em : 02 Dec 2007

 Modificar esta ficha
Siga este link somente se você tiver um palavra chave de editor!


Compartilhar: Facebook logo   Tweeter logo   Difícil

Nota bibliográfica (sem autor) :

Oxytocin levels in maternal and fetal plasma, amniotic fluid, and neonatal plasma and urine. Arch Gynecol Obstet 1987;241(1):13-23

Autores :

Kuwabara Y, Takeda S, Mizuno M, Sakamoto S.

Ano de publicação :

1987

URL(s) :

Résumé (français)  :

Abstract (English)  :

(Department of Obstetrics and Gynecology, Faculty of Medicine, University of Tokyo, Japan.)

Oxytocin was measured in maternal and fetal plasma, amniotic fluid and neonatal plasma and urine using a specific radioimmunoassay, following extraction procedures with Florisil.

Maternal oxytocin levels rose progressively with advancing gestation, but there were no significant differences between oxytocin levels around the onset of labor. No diurnal rhythm of oxytocin was evident in maternal plasma during the third trimester. Maternal and umbilical plasma oxytocin levels at spontaneous delivery were significantly higher than those at elective cesarean section. Maternal oxytocin levels in four cases of post-term delivery were lower than those during normal late pregnancy; all four cases experienced uterine inertia. All amniotic fluid samples had detectable oxytocin levels and there were no significant differences between oxytocin levels in the second trimester and those in the third trimester. Oxytocin levels in neonatal urine were higher than levels in amniotic fluid and lower than in the umbilical artery.

Neonatal plasma oxytocin levels gradually decreased and oxytocin levels of 7-day-old infants were significantly lower than those in the umbilical artery, but higher than those in adults. In conclusion, it appears that maternal oxytocin levels may not be involved in triggering the onset of labor but may play a role in the maintenance and reinforcement of labor.

Sumário (português)  :

Comentários :

Argument (français) :

Argument (English):

Argumento (português):

Palavras-chaves :

➡ hormonas ; ocitocina (Syntocinon) ; dor ; tempo de termo excedido

Autor da esta ficha :

Bernard Bel — 07 Oct 2004

Discussão (exibir apenas português)
 
➡ Reservado para usuários identificados



 Li a carta de discussões e aceito as condições (leia as diretrizes)

barre

Efectuar uma nova consulta especialista --- Outro pedido simples

Criação de uma ficha --- Importar registros

Gerenciamento de usuários --- Fazer backup do banco de dados --- Contato

bar

Esta base de dados é gerida pela Alliance francophone pour l'accouchement respecté (AFAR, https://afar.info)
filiados Collectif interassociatif autour de la naissance (CIANE, https://ciane.net).
Ele é alimentado pelas contribuições de voluntários interessados ​​em compartilhar informações científicas.
Se você aprovar este projeto, você pode nos ajudar de várias maneiras:
(1) tornar-se um colaborador com base nisso, se você tem um pouco experiência na literatura científica
(2) ou apoio financeiro AFAR (veja abaixo)
(3) ou tornar-se um membro da AFAR (ou outra associação afiliada à CIANE).
Faça login ou crie uma conta para seguir as alterações ou se tornar um editor.
Contato afar.association(arobase)gmail.com para mais informações.

Valid CSS! Valid HTML!
Doar para a AFAR (clique em “Faire un don”) nos ajudará a manter e desenvolver sites e bancos de dados
públicos para o apoio das decisões informadas dos pais e cuidadores com relação ao parto